sexta-feira, 3 de outubro de 2014

Amenidades.

Amenidades.

André Francisco Gil.

03/10/14.

Amenidades são tantas que tornam-se dizeres favoráveis
veneno forte na deleitosa existência dos delitos
tanto tem descido que antes de tomar o antídoto deu um grito
com adocicadas diferenças comprou a verdade.

Nos dizeres existem o antídoto da verdade
tornam-se deleitosos antes de comprá-los
tanto faz se forte ou fraco com tanta diferença
ameniza o veneno ao descer uma gota adocicada de bebida licorosa.

Em outros esôfagos o todo dissemelhante
abaixo dos lábios sou a potencialização da mentira
guardado num convés ao invés de ser fraco e peçonhento
resíduos causam agonia contidos na impotência.

Mentiras dissemelhantes e fracas opiniões que impotencializam
toda a potencialidade peçonhenta contida no veneno da maldição
eu sou o outro a quem a agonia castiga e amedronta
abaixo do esôfago a causa não curada ao invés de guardá-la.

Tóxico alucinógeno e meio dolorido tornaram-se seus aliados
o desconforto da mentira e o soro da verdade para imunizar
sente mais danoso o temor inconstante de sua incredulidade
frescas e leves as mentiras tem enganado os otários e seus retalhos.

Torna-se imune ao retalho da inconstância
minha verdade tem temor e tem consciência
a mentira é um soro meio danoso e venenoso
dolorido desconforto não se sinta assim tão leve
a mentira é um tóxico que te deixa louco.