sexta-feira, 2 de maio de 2014

[ O que preciso ]


[ o que preciso ]

André Francisco Gil.
02/05/14.

Arrancar-me
    rasgar-me
demasiadamente
     matar-me
sem se
 esforçar
sem sequer
 precisar
de tudo
de tanto
sem saber
   suicidar-me
no absurdo
no entanto
   portanto…

tanto esforço pra nada
sequer toquei-te
sequer arranquei-te
     (o hímen)
eu sei do que preciso
            não é preciso
me jogar na cara
     eu sei que preciso
viver sem pudor
 viver sem amor…

feliz tudo se encaixa
        tudo estala
        tudo
           se instala
se fôssemos o que precisamos
eu queria a sua pele
              tatuada
a arte não tem religião
                nem clero
  a arte extravasa
apenas sabemos do mesmo
 se não sabemos
a gente inventa
se amar vale a pena
por que a gente
         não tenta?…

se fôssemos felizes
apenas com o que
        temos
não precisaríamos pedir mais
você sabe que amar
é tudo o que eu preciso
                  te amar já me basta
te amando
                  não preciso
de mais nada…