domingo, 2 de março de 2014

Vamos agitar.

Vamos agitar.

André Francisco Gil.
02/03/14.

Estabilizar e
       inovar mais
   arrastar alguém para o baile.
Poder
   arrastar mais
      inova e
estabiliza.
Imediatista
e bela a realidade
        da vida.
Som total
  mil grau.
Descobrir os limites
das ruas sem limite
dos muros pichados
ou
dos muros com grafite.
Não levo o peso
e curto só a rota da
                   moda.
Não curto rato cinza
com suas botas pretas.
Não gosto de picuinhas
          nem de ladainhas.
Vossa excelência
           a violência
  é quem domina
é melhor não continuar
você está na mira.
Aceito o ciúme para
                      me desviar
do Mestre.
Hip-hop nesse futuro de poder.
Indignado,nervoso
o tal dia cruel do
         coquetel
                  mel
                & fel.
Algo fictício em seu movimento.
                                  Não aguento mais
                    tanta teoria,tanta mentira.
Neste coquetel nomearei o nostálgico ritmo.
Exótico setor que coordeno
quando solto minha voz
           destilo o meu veneno.
Aceitável minha irreverência
                  meu milagre
                               A tendência é ter chance de
                                                    fazer.
Com o rap também se pode crescer.
Reverenciar o aborrecimento  e abominar o
                      emburrecimento
do ser que passa a morrer de fobias.
Clareia toda a extremidade.
Sangria comum que nos une hoje
é o espetáculo da poesia.
Traz a ótima moda da línguagíria.
Nasce o som transformador
o som que arrebenta no
                           amplificador.
No conto e no canto
qualquer linguagem se usa
desde os palavrões de rua
até palavrinhas sem censura.
O rap é verdade não pode ter rasura.
Ação é a mesma coisa
diverte a massa
enlouquece quem
                  passa.
Mistura bela de fé e black.
Melhor irmão se inspirar
                                e tocar
uma que a rapaze conhece.
                     Vamos agitar
ao som desse ritmo
                   que enlouquece.